+55 41 3042.0444 | +55 41 3287.4955 | +55 41 98501.7891

41 3042.0444 | 41 3287.4955 | 41 98501.7891

marketing digital como você nunca viu.

Botão Menu - Muito Mais Digital

Fluxo de Caixa como instrumento de Gestão

Quem não quer ter sua empresa financeiramente organizada, ter informações seguras que possam servir para tomadas de decisões, como por exemplo, decidir sobre um novo investimento, nova aquisição, ou mesmo corte de despesas?

Muitas pequenas e médias empresas não utilizam esta opção – fluxo de caixa – talvez por falta de conhecimento ou por falta de tempo. O Gestor/proprietário tem que fazer de tudo um pouco para levar avante seu negócio e, às vezes, mesmo sabendo da necessidade não dedica tempo para a gestão financeira e um controle como fluxo de caixa. Portanto, se sua empresa não tem um software de gestão, pode usar este exemplo de planilha de fluxo de caixa para começar a organizar as finanças.

Aqui vou apresentar um exemplo de fluxo de caixa mais simples, que qualquer um pode fazer na sua empresa. Independente do seu volume financeiro ou tamanho da empresa, dedicando tempo para organizar os lançamentos de entradas e saídas, já terá em mãos um instrumento que poderá ajudar muito no dia a dia da empresa.

O que é um fluxo de caixa?                       

Fluxo de caixa é um instrumento de gestão financeira que, lançadas todas as entradas e saídas financeiras, permite visualizar períodos futuros da empresa, mostrando como será o saldo de caixa para o período projetado.

Se sua empresa tem o setor financeiro bem organizado fica bem fácil de montar o fluxo de caixa.

Como entradas e saídas acontecem quase que diariamente, os lançamentos no fluxo de caixa também devem ser feitos assim. Podem ser feitos para qualquer período, mas vale a pena fazer todos os lançamentos. Assim será possível gerar relatórios e visualizar a posição por períodos, conforme a necessidade (semanal, quinzenal, mensal, semestral ou anual).
Com lançamentos sendo feitos diariamente você terá o fluxo de caixa atualizado, obtendo muitos benefícios, tais como:

  • Verificar a saúde financeira da empresa;
  • Controle de receitas e despesas;
  • Ver resultados e fazer a análise financeira da empresa;
    • Ajuste de custos e despesas
    • Faturamento por produto/serviço
  • Direcionar melhores as datas para compras;
  • Organizar melhores datas para pagamentos e recebimentos;
  • Visualizar antecipadamente eventuais necessidades de caixa;
  • Projetar investimentos;
  • Projetar divisão de lucros;
  • Ver necessidade de capital de giro;
  • Tomadas de decisões com segurança;
  • Entre outros.

 

Nos lançamentos você vai precisar trabalhar também com previsões de valores, como por exemplo, os valores pouco variáveis: despesas de telefone, água, luz, etc. Não é difícil, pois pode-se fazer o lançamento pelo valor médio dos últimos 3 ou 6 meses e assim ficará bem próximo do valor real (é importante lançar todas as despesas). Já no caso das despesas fixas é mais fácil: lança-se direto o valor correto.

Portanto, ao fazer todos estes lançamentos, perceba que você estará trabalhando com as seguintes contas/setores:

 

Estrutura para montar o fluxo de caixa:

Saldo inicial: Quanto se tem no início do período (saldo que vem do dia anterior ou mês anterior).

Entradas: Valores das suas vendas (serviços, produtos, comissões de parceiros, etc.), empréstimos, entre outros. Tudo que entra de dinheiro na empresa.

Saídas/Despesas: Dinheiro gasto (comprometido) com salários, fornecedores, impostos, financiamentos, etc.

Saldo de caixa final: Dinheiro disponível, após recebimentos e pagamentos do período.

Segue um modelo básico de fluxo de caixa, com algumas contas (cada empresa tem seu plano de contas). Neste modelo estão as contas mais comuns para a maioria das empresas.

Vamos montar um fluxo considerando o lançamento total das vendas e despesas de somente seis meses.

 

ENTRADAS: Lançadas as vendas de setembro, à vista e a prazo, observando que os demais meses são previsões. Aqui pode-se, também, separa por linha cada tipo de venda/produto.
Então lança-se todas as vendas do mês, sendo que as vendas à vista na coluna do próprio mês (neste exemplo, setembro) e os demais valores a receber nos respectivos meses.
Exemplo: Vendas totais de setembro: R$ 20.610,00, sendo R$ 4.500,00 à vista, R$ 7.580,00 para 30 dias, R$ 4.850,00 para 60 dias, R$ 3.580,00 para 90 dias e R$ 100,00 para 120 dias.

SAÍDAS: Lançadas as despesas previstas por 6 meses, para ver o movimento de caixa.

INADIMPLÊNCIA: Infelizmente, em todas as atividades há os inadimplentes, então, como uma parte da sua receita prevista não vai entrar em caixa, é importante fazer esta previsão (baseado no seu índice histórico), e lançar como “negativo” no campo entradas. No exemplo acima foi previsto 3% de inadimplência sobre as vendas do mês anterior.

SALDO: Observe que o saldo final/resultado do mês é lançado como entrada (saldo anterior) no próximo mês.

Portanto, diariamente podem ser lançadas todas as entradas e novas despesas, nos respectivos meses. Assim você terá um caixa atualizado, tendo a projeção de todo período à frente.

No exemplo acima é possível observar que a partir do 5º mês, se não houver nenhuma venda e mantidas as despesas (saídas), faltará dinheiro em caixa, pois o 4º mês encerrou com saldo de somente R$ 132,66.

Com este instrumento organizado e um pouco mais de tempo dedicado à análise, tenho certeza de que o gestor terá bons resultados e mais segurança na condução do negócio.

Você pode baixar este modelo de planilha de fluxo de caixa aqui e adequá-la à sua realidade, lançando novas contas.

Cleiton Sales de Ávila

Cleiton Sales de Ávila

Atua na área Administrativa financeira de empresas, finanças pessoais, Comercial e Gestão. Com diversos cursos de aperfeiçoamento nestas áreas. Bacharel em Economia - FAE Business School - Bom Jesus - Curitiba Pós-Graduação em Finanças Avançadas - Fae Business school - Bom Jesus - Curitiba.

Ligue Agora