GESTÃO DE REDES SOCIAIS

Sua marca está presente nas redes sociais? Muito provavelmente a resposta será SIM.

Mas como tem sido feita a gestão das redes sociais? Existe um planejamento? E a frequência de publicações? Os comentários, dúvidas, críticas e sugestões são analisados e respondidos caso a caso? O conteúdo publicado agrega valor para os seus seguidores? É isso mesmo que eles querem “ouvir”? Por sinal, você sabe com quem está falando?

Muito além de ter uma fanpage no Facebook ou contas no Youtube, Instagram, Pinterest, Google Plus, Twitter ou Linkedin e até mesmo um número de Whatsapp, sua marca precisa de um bom planejamento para compartilhar aquilo que de fato interessa para o seu público alvo, sem ser invasiva ou agressiva.

A atividade que as pessoas mais fazem na internet: checar suas redes sociais

A gestão de redes sociais de forma profissional faz toda a diferença para as marcas que querem obter sucesso nesse relacionamento. Atualmente, a atividade que as pessoas mais fazem na internet é checar suas redes sociais.

92%

dos acessos à internet são para checar as redes sociais e enviar mensagem através delas!

Fonte

Número de usuários ativos por rede social:

  • Facebook
    2,27 milhões
  • Youtube
    1,9 milhões
  • Whatsapp
    1,5 milhões

Investir em mídias sociais deixou de ser aquele “algo a mais” e passou a figurar entre as principais estratégias de marketing digital de muitas empresas. Já não basta mais querer vender um produto ou serviço, é preciso demonstrar que existe uma preocupação em oferecer o que há de melhorar, em prestar um serviço que ajude as pessoas a tomarem a melhor decisão, que existe um “ser humano” por trás das marcas preocupado em ouvir as sugestões, acolher as críticas e reclamações.

O marketing nas redes sociais não deixa de ser como aquela famosa definição de Philip Kotler, onde indivíduos ou grupos estabelecem uma relação de criação, oferta e troca de valor. É muito mais do que simplesmente se preocupar com as cifras originadas pelos links publicados nas redes sociais, vai além do número de seguidores, curtidas ou comentários. As ações de marketing em redes sociais precisam ser planejadas para gerar envolvimento, fidelização, engajamento. É muito mais “qualidade” do que quantidade.

Mas em qual das redes sociais eu devo estar?

Como toda e qualquer estratégia de marketing, é preciso ter claro quem é o seu público alvo, com quem e como você pretende “falar”. Essa definição é o primeiro passo para qualquer marca que pretende investir em marketing nas redes sociais.

Facebook, Youtube, Whatsapp, Instagram, Twitter, Pinterest, Linkedin, Google Plus ou qualquer outra rede social não fazem milagres. Não adianta publicar o conteúdo certo no lugar errado.

Qual é o produto ou serviço que a sua marca vende? Em qual momento você pretende “falar” com as pessoas? Considere esses e outros fatores importantes no momento de criar seus perfis sociais. Não existe a melhor rede social para todo mundo.
Temos dois posts em nosso blog que podem ajudar você a conhecer um pouco mais sobre duas das redes sociais mais populares no Brasil.

Como fazer o gerenciamento de redes sociais?

A melhor maneira de fazer o gerenciamento de redes sociais é confiar este trabalho a um profissional ou agência de marketing especializada. Ainda é muito comum entre as marcas designarem um funcionário para “tomar conta” dos perfis sociais, mas esse pode ser o barato que sai caro, como diz o ditado.

Uma agência de redes sociais, mesmo atendendo diversos clientes ao mesmo tempo, pode atingir um resultado mais eficiente na produção de conteúdo e relacionamento com os seguidores, pois seus profissionais trabalham exclusivamente com a gestão de marcas nas redes sociais. Mas atenção: para atendimentos estilo SAC (serviço de atendimento ao cliente), o ideal é que o trabalho seja feito a quatro mãos, onde a responsabilidade da agência é planejar e publicar os conteúdos e gerenciar as campanhas de Facebook Ads (anúncios), enquanto o cliente fica responsável por responder dúvidas mais específicas dos usuários.

Para alcançar os resultados desejados com mídia social é importante que as marcas tenham em mente que a agência será uma parceira, mas ninguém conhece tanto do mercado quanto o próprio cliente, ou seja, participar ativamente das etapas de planejamento, aprovação de pauta e acompanhamento dos resultados (relatórios) é fundamental.

Definição da persona. Com quem e como você deve falar?

A primeira coisa a se fazer num projeto de gerenciamento de redes sociais é a definição da persona. Quem é essa pessoa com quem a marca vai se relacionar? Homem, mulher, ou ambos? Qual a faixa etária? É um público formador de opinião? O que costumam fazer nos momentos de lazer? São engajados com alguma causa? Quem são os influenciadores dessa pessoa?

Um manual de persona apontará os caminhos a serem seguidos pela equipe que gerenciará as redes sociais. Dessa forma, independente de haver troca de profissionais, a linguagem sempre será a mesma.

E o mais importante: a comunicação tende a ser mais eficiente, afinal, é impossível que uma marca “fale com todo mundo” ao mesmo tempo.

Algumas marcas possuem um público alvo mais abrangente e, por isso, precisam definir mais de uma persona. Isso não é tão raro. Mas essas diferentes personas devem ser levadas em conta no momento do planejamento e produção de conteúdo.

CONFIRA NOSSOS
CASES DE SUCESSO

As redes sociais mais usadas no Brasil (top 5)

As redes sociais mais usadas no Brasil (top 5)

O Brasil é o terceiro país mais ativo no Facebook junto com a Indonésia, ficando atrás apenas dos EUA e Índia. São mais de 125 milhões de usuários canarinhos no Facebook.

Desde a criação da fanpage até a gestão de anúncios no Facebook Ads, é importante considerar que todo o trabalho seja executado por uma agência especializada em redes sociais, afinal, quem almeja retorno sobre o investimento precisa tratar a gestão de redes sociais como um trabalho profissional, coordenado por especialistas.

No Facebook existem inúmeras possiblidades de estratégias de atuação e elas variam de acordo com o objetivo da marca e o segmento em que el a atua. É importante entender o que o público alvo espera da atuação da marca nas redes sociais, para que seja estabelecido um relacionamento que agregue valor. Exemplo: o relacionamento será para um serviço de SAC – atendimento ao cliente – ou para compartilhar conteúdos de interesse do público alvo?

Seja qual for o seu objetivo, alinhe-o com as expectativas do seu público alvo. Uma maneira eficaz de se fazer isso é definindo quem é a persona com quem a marca vai “conversar”. Começando por este caminho, suas chances de obter sucesso com a gestão de Facebook aumentam consideravelmente.

FACEBOOK ADS VERSUS GOOGLE ADs. ONDE INVESTIR?

FACEBOOK ADS VERSUS GOOGLE ADs. ONDE INVESTIR?

Não existe o melhor entre Facebook Ads e Google Ads (links patrocinados do Google). Na verdade, são estratégias complementares, pois dizem respeito a momentos distintos dos usuários. Enquanto no Google o usuário está à procura de uma resposta para a sua pergunta, no Facebook ele está num momento de lazer, descontração.

A abordagem de um anúncio no Facebook Ads deve ser diferente da utilizada no Google Ads, por isso, deve-se esperar resultados diferentes em cada uma das ações. Num exemplo prático, um anunciante de celular pode usar como estratégia no Google divulgar o preço promocional de um determinado aparelho num saldão de final de semana, enquanto no Facebook Ads o foco pode ser em promover um comparativo do aparelho A versus o aparelho B.

O importante é ter em mente que hoje em dia é fundamental investir em Facebook Ads, seja para atrair novos seguidores para a fanpage da marca ou mesmo para impulsionar postagens, já que o Facebook tem deixado explícito que o alcance orgânico das publicações de fanpages (página de empresas) está cada vez menor. Então, quando for planejar a atuação da sua marca no Facebook, lembre-se de reservar uma verba para os anúncios.

Redes Sociais e Otimização de Sites SEO. Existe alguma ligação?

Afinal, existe ligação entre o conteúdo que é publicado nas redes sociais e o posicionamento orgânico dos sites no Google (e demais buscadores)? É perigoso afirmar, seja “sim” ou “não”. Diferentes opiniões são defendidas sobre o impacto positivo que as redes sociais podem gerar no ranqueamento orgânico de um site. Mas mais do que isso, é importante ter claro que ambas as estratégias fazem parte de um composto maior, que é o marketing digital. Cada ação tem uma meta, que deve estar integrada com um objetivo maior em comum.

Investir em gerenciamento de redes sociais é tão importante quanto a otimização de sites – SEO, e vice e versa. Usuários que recorrem à busca do Google estão em momentos distintos de usuários que estejam conectados às redes sociais. Por mais que a atividade em si seja realizada muitas vezes simultaneamente, a resposta que uma pessoa espera encontrar no Google é diferente daquela que ela anseia nas redes sociais.

O que já se vê atualmente é um ranqueamento melhor das fanpages no resultado de busca do Google, dependendo da pesquisa, ou seja, cada vez mais o que é publicado e compartilhado numa página do Facebook tem apresentado relevância suficiente para estar bem posicionado nos buscadores e isso já é um indício de que esse conteúdo gerado e compartilhado por empresas e usuários nas redes sociais pode interferir no ranking orgânico de forma mais direta.

QUER SER O
PRÓXIMO A TER UM
CASE DE SUCESSO?
Receba mensalmente conteúdo gratuito Saiba o que fazer para melhorar seus resultados com marketing digital. Inscreva-se em nossa newsletter e receba conteúdos em primeira mão.


    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.

    Para otimizar sua experiência durante a navegação, fazemos uso de nossa Política de Privacidade. Para proteger seus dados pessoais respeitamos nossa Política de Privacidade. Ao seguir com a navegação e visita, você concorda com nossas Políticas.