+55 41 3042.0444 | +55 41 3287.4955 | +55 41 98501.7891

41 3042.0444 | 41 3287.4955 | 41 98501.7891

marketing digital como você nunca viu.

Botão Menu - Muito Mais Digital

Não desista do seu negócio e nem feche sua empresa antes de ler esse artigo.

Não desista do seu negócio. Leia esse artigo.

Fechar as portas. Essa é uma das grandes ameaças que assombram os empresários brasileiros de todos os portes e segmentos de mercado. E não é somente em tempos de crise. Historicamente, temos uma cultura de viver na incerteza quando o assunto é empreender. Dezenas de fatores contribuem para esse cenário, tais como a falta de planejamento por parte dos novos empreendedores e a grande carga tributária vigente em nosso país (e que, vira e mexe, aumenta).

Em 2015, ano de forte recessão, cerca de 1,8 milhão de empresas fecharam as portas. Esse número, de acordo com o caderno de Economia do Estadão, atingiu companhias de todos os tamanhos e setores da economia – inclusive os microempreendedores individuais (popularmente chamados de MEI). Na contramão desses dados negativos, também em 2015, foram criadas quase 2 milhões de novas empresas (aumento de 5,3% em comparação com o ano de 2014). E, não coincidentemente, o que impulsionou esse crescimento na abertura de novos negócios foi justamente o fato de que muitas empresas fecharam! Oi? É isso mesmo? Sim! Com um elevado número de pessoas desempregadas, muitas se viram na obrigação (ou até mesmo enxergaram verdadeiramente uma oportunidade) de abrir um negócio para sobreviver e tentar driblar a crise.

E o que tudo isso tem a ver com o tema desse post? Simples: quanto mais empresas abertas “de qualquer jeito” ou simplesmente pelo empresário “não ter outra saída” a não ser empreender, maiores serão os números negativos nos anos seguintes, pois muitas dessas empresas já nascerão fadadas a morrer. Isso porque, no Brasil, metade das empresas encerram suas atividades após quatro anos de vida.

Tá pensando em quanto custa fechar uma empresa? Espera mais um pouquinho e continue lendo…

Todo empresário que possui um negócio em situação de risco, antes de pensar em como fechar uma empresa, deveria refletir sobre alguns aspectos importantes, como por exemplo: como tirar minha empresa do vermelho? Tenho certeza de que será muito mais barato (pensando pelo lado financeiro) tentar soluções para viabilizar o negócio e torna-lo rentável do que partir para o encerramento das atividades. Além disso, tem a questão psicológica, pois não é fácil lidar com as sensações de fracasso e derrota que inevitavelmente virão.

Mas vamos nos concentrar em ações práticas de como aumentar as vendas (para qualquer tipo de negócio). Só peço para que você não espere uma receita de bolo ou uma fórmula milagrosa, pois isso realmente não existe. Selecionei algumas das ações que podem ser úteis para empresas de todos os portes e setores:

Ações para aumentar as vendas.

      1. Separe a pessoa física da pessoa jurídica: um dos erros mais clássicos que os empresários cometem é misturar as finanças pessoais com as da empresa. Isso nunca dará certo. Estabeleça os critérios para as retiradas mensais de pró-labore e respeite isso como seu salário, seu teto financeiro momentâneo. Com o tempo e os negócios indo bem, você vai aumentando essa retirada, mas sem misturar aquela conta do cartão de crédito pessoal com as duplicatas que precisam ser pagas pela empresa. Aqui em nosso blog temos um conteúdo escrito por um especialista que traz ‘10 dicas para manter o controle entre o Caixa da Empresa e o Caixa Pessoal’;

 

      1. Planejamento: por mais básico que pareça, muitas empresas não possuem um planejamento, ou então criaram um documento que está pegando pó em cima de alguma mesa. Ter um planejamento estratégico com objetivo, metas, plano de ação, responsabilidades e um PPP (plano de problema potencial) vai ajudar o empresário a enxergar melhor o que precisa ser feito, quais são as atividades mais estratégicas, as prioridades e “quem faz o quê” na empresa. Acredite. Isso funciona se feito da maneira correta;

 

      1. Conheça o seu mercado: você conhece mesmo o seu mercado de atuação? Quem são os seus concorrentes diretos e indiretos? Numa pesquisa rápida na internet você pode descobrir que possui concorrentes antes nem imaginados. O seu produto está adequado às novas tendências, tecnologias e exigências dos seus clientes? E o seu preço? Mapear o mercado e estar o tempo todo conectado às mudanças é vital em tempos de tecnologia cada vez mais avançada e ao alcance de todos;

 

      1. Você sabe quem é o seu cliente ideal? Dependendo da sua resposta, pode ser que você tenha encontrado um dos principais motivos para estar procurando um “passo a passo para fechar uma empresa”, pois sem conhecer seu cliente ideal, nenhuma empresa vai pra frente. Descreva num papel as principais características do tipo de cliente que você considera perfeito e, a partir daí, foque seus esforços para encontrar e “falar” com ele;

 

      1. Invista em marketing: esse também é um ponto chave para empreendedores que buscam respostas para perguntas do tipo “como aumentar as vendas?”. Sendo sincero, esqueça as histórias mirabolantes de pessoas que construíram um império apenas com uma boa ideia, ou mesmo os casos de empresas que sem investir quase nada fizeram sucesso na internet. Isso acontece de forma tão rara quanto ganhar na loteria… E eu acredito que você nunca acertou as seis dezenas da Mega, do contrário, não estaria lendo esse post (#fato). Preveja uma parte do seu orçamento para investimento em marketing – isso deve constar lá no seu planejamento. Adeque as ações às necessidades do seu mercado e mensure sempre os resultados, pois não adianta nada investir se você não sabe de onde é e se é que veio algum tipo de resultado;

 

    1. A internet está aí faz tempo: de acordo com pesquisa realizada pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e pelo portal de educação financeira Meu Bolso Feliz, 90% dos brasileiros com acesso a internet realizam pesquisas online antes de comprar um produto ou contratar um serviço em “lojas físicas”. E como mostrou o IBGE em recente pesquisa (abril/2016), o celular já é o principal meio pelo qual os brasileiros acessam a internet, ou seja, cada vez mais até as simples escolhas, como selecionar um restaurante para almoçar, serão feitas através do smartphone. Pergunta: sua empresa investe em ações de marketing digital?

Como aumentar minhas vendas?

Agora vem a pergunta: como aumentar minhas vendas na internet?

Se você se fez essa pergunta após ler o último trecho desse post, significa que está começando a mudar de ideia e que já não pensa tanto em “como fechar uma empresa”… Isso é muito bom. Vou tentar ajuda-lo a responder essa questão de aumento de vendas na internet com mais alguns pontos que devem ser considerados:

– Você encara seu site como um e-commerce? Espero que a resposta tenha sido SIM, afinal, todo site é uma loja virtual, ou você não espera vender para alguém que esteja visitando seu site? Por isso, pensar em estratégias de captação de informações, além de facilitar as formas de contato com a sua empresa, são premissas básicas de um bom site. Onde está posicionado o telefone da sua empresa no site? Ele está visível? Seu formulário de contato/orçamento chama atenção? Todas as páginas do site dão fácil acesso e estimulam os visitantes a fazerem um contato com você? E atendimento via Whatsapp, você já considerou? Essa ferramenta tem sido fantástica na geração de leads (clientes em potencial). Inclusive temos um post aqui no blog sobre ‘10 dicas para utilizar o Whatsapp como ferramenta de marketing (+ bônus)’;

– Pesquise pelo seu serviço ou produto no Google. O que aparece? Se você não encontrou o seu site, mas viu ali um monte de outros endereços da web, significa que todos eles são seus concorrentes e que você precisa urgentemente de um serviço de otimização de sites (tecnicamente chamado de SEO). Com as técnicas corretas, seu site irá aparecer para as principais buscas pelos seus serviços os produtos. Estar bem posicionado no Google atualmente é como anunciar nas páginas amarelas nas décadas de 80 e 90 (fundamental para quem quer ser visto e lembrado). E aqui vale um alerta: também não existem milagres e resultados da noite para o dia. A busca orgânica do Google, como o próprio nome diz, trará resultados organicamente, a médio e longo prazo. Se alguém prometer algo muito mirabolante para você, sinceramente, desconsidere;

– Estabeleça um relacionamento com seus leads. Mas afinal, o que são leads? De forma bem abrangente, leads são clientes em potencial, visitantes do seu site que de alguma forma demonstraram interesse em fazer negócio com você. Muitas das vezes, esses leads precisarão passar por um estágio, a chamada “Jornada de Compras”, até que se tornem clientes de fato. E é neste momento que um bom projeto de Inbound Marketing pode fazer a diferença. Trabalhar oferecendo conteúdos ricos e informativos, de acordo com a necessidade de cada um, vai potencializar muito as suas conversões. Se a pessoa quer mais informações sobre os benefícios do seu produto/serviço, dê isso a ela! Já se ela quer um comparativo entre as marcas X e Y, é esse o conteúdo que você deve fornecer. Com uma relação de confiança estabelecida, certamente sua empresa terá pontos positivos importantes no momento da consideração da compra;

– Não se esqueça do relacionamento nas redes sociais, ok? De acordo com pesquisa realizada pela PricewaterhouseCoopers (PwC), 77% dos brasileiros tiveram suas decisões de compras influenciadas pelas redes sociais. Mas aqui preciso ser bem sincero, pois se você espera investir num mês para avaliar o quanto faturou via redes sociais no outro, desista agora mesmo. Relacionamento é algo que se faz para agregar valor à marca, mostrar que a empresa não está preocupada somente em vender o produto/serviço, mas também quer proporcionar a melhor experiência para seus clientes. Isso já é visão em longo prazo, mas que você precisa semear hoje, para poder colher amanhã;

– Envie e-mails úteis e colha resultados incríveis. Isso mesmo. Enviar e-mails ainda é uma das ações mais eficazes de marketing na internet; mas esqueça do spam, estou falando de e-mail para uma base de pessoas que querem receber suas mensagens e que são segmentadas por interesse, gênero, idade, etc. Além de ter excelente custo-benefício, o e-mail marketing quando bem feito proporciona uma conversa “um a um” e é isso que as pessoas querem: sentir-se valorizadas!

Colocando em prática alguma dessas, além de outras ações possíveis, você vai começar a mudar o patamar da sua empresa e poderá não apenas tirá-la do vermelho, mas também torna-la lucrativa (e é isso que todo empresário almeja).

Foque seus esforços naquilo que você é expert e delegue as outras atividades e ações para seus colaboradores ou terceiros. A melhor maneira de atingir excelentes resultados é cercar-se de pessoas tão boas quanto você.

Felipe Carvalho

Felipe Carvalho

Bacharel em Comunicação Social – Habilitação em Publicidade e Propaganda, pela PUC-PR. Certificado avançado em Google Adwords (pesquisa, display, shopping, vídeo e apps). Certificado em Inbound Marketing e RD Station, pela Resultados Digitais. Atua no mercado de marketing há mais de 10 anos, com foco em search marketing desde 2010.