+55 41 3042.0444 | +55 41 3287.4955 | +55 41 98501.7891

41 3042.0444 | 41 3287.4955 | 41 98501.7891

marketing digital como você nunca viu.

Botão Menu - Muito Mais Digital

7 passos para calcular o preço de venda de um produto – teoria e prática

Para iniciar uma nova empresa é tão importante um amplo estudo de viabilidade e ter bem calculado seus custos fixos e variáveis, quanto calcular o preço de venda do(s) produto(s). Quem inicia um negócio sem conhecer os custos reais da empresa corre o risco de ser mais um nas estatísticas de empresas sem sucesso.

Além de conhecer bem as contas da empresa, outro ponto fundamental é não misturar as contas pessoais com as contas da pessoa jurídica. Depois de ler esse artigo, confira também: 10 dicas para manter o controle entre o Caixa da Empresa e o Caixa Pessoal

É fundamental conhecer os custos para saber:

– Se o valor de venda do produto ou serviço é competitivo;

– Se o custo é alto e consequentemente o valor de venda irá ficar muito acima da média, podendo inviabilizar o lançamento/venda do produto.

O objetivo aqui é explicar de maneira objetiva como calcular o preço de venda, a partir dos custos do produto, que envolvem: valor de compra ou custo da fabricação, custos fixos, custos variáveis, etc.

O que são custos fixos e custos variáveis?

Antes de irmos para a prática, é importante saber o que são custos fixos e custos variáveis e como identificá-los no seu negócio.

Significado de custos fixos (ou gastos fixos):

São aqueles que acontecem independente da quantidade de produtos fabricados ou vendidos.

Exemplo:
– Aluguel;
– Conta de telefone;
– Luz e água;
– Manutenção;
– Despesas administrativas;
– Propaganda;
– Pró-labore;
– Salários;
– Outros.

Ou seja, se a empresa vender no mês 100 unidades do produto “X” ou se não vender nada, terá estas despesas/custos do mesmo jeito.

Significado de custos variáveis (ou gastos variáveis):

São aqueles que variam diretamente com a quantidade de produtos fabricados ou vendidos.

Exemplo:
– Venda de produto que precisa de embalagem;
– Fabricação de produto que necessite de aquisição de matéria prima;
– Custo de frete/entrega.

Nestes casos, o custo acontecerá conforme a quantidade fabricada ou vendida.

Passo a passo para fazer o cálculo do preço de venda de um produto

Vamos considerar aqui uma empresa que compra e revende produtos (sem fabricação), portanto, não vamos abordar custos inerentes à fabricação.

Para fins de exemplo, consideraremos também que a empresa vendeu 250 produtos dentro de um mês.

Como calcular o preço de venda de um produto

Primeiro passo: Os custos fixos

 

Como calcular o preço de venda de um produto

Segundo passo: O rateio dos custos fixos

 

Como calcular o preço de venda de um produto

Terceiro passo: Custo variável

 

Como calcular o preço de venda de um produto

Quarto passo: Custo total do produto

 

Como calcular o preço de venda de um produto

Quinto passo: Como calcular o mark up

 

Como calcular o preço de venda de um produto

Sexto passo: Mark up divisor

 

Como calcular o preço de venda de um produto

Sétimo passo: Preço final de venda

 

Como calcular o preço de venda de um produto

Conferência do cálculo

 

O que você não deve fazer ao calcular o preço de venda de um produto

Muitos cometem esse erro ao calcular o preço de venda:

Como calcular o preço de venda de um produto - maneira errada

Preço de venda calculado da maneira errada

 

Como calcular o preço de venda de um produto

Descubra se o cálculo está certo ou errado

 

Portanto, no primeiro exemplo 16,68 corresponde exatamente a 20% de margem de lucro pretendida.

É preciso saber os custos detalhadamente para não errar na precificação.

No último exemplo (cálculo por fora) pretendia-se 20% de lucro, mas na verdade o que restou (7,99) correspondia a somente 10,93% do valor de venda.

Tome cuidado com os cálculos de custos para não ser surpreendido no fechamento do mês. E lembre-se que também existem outros itens a serem considerados nos custos fixos da empresa, como a taxa de depreciação. Leia aqui como calcular a taxa de depreciação de maquinas e equipamentos.

Agora que você já aprendeu o básico, está na hora de analisar os seus custos (fixos e variáveis) e calcular o quanto de fato os seus produtos têm gerado de lucro a cada venda.

A busca por uma margem de lucro que garanta o crescimento da empresa deve ser constante. Só assim as surpresas desagradáveis podem ser evitadas!

Cleiton Sales de Ávila

Cleiton Sales de Ávila

Atua na área Administrativa financeira de empresas, finanças pessoais, Comercial e Gestão.
Com diversos cursos de aperfeiçoamento nestas áreas.
Bacharel em Economia – FAE Business School – Bom Jesus – Curitiba
Pós-Graduação em Finanças Avançadas – Fae Business school – Bom Jesus – Curitiba.