+55 41 3042.0444 | +55 41 3287.4955 | +55 41 98501.7891

41 3042.0444 | 41 3287.4955 | 41 98501.7891

marketing digital como você nunca viu.

Botão Menu - Muito Mais Digital

Taxa de depreciação de máquinas e equipamentos. Você calcula? Confira dicas!

Sobre o cálculo de depreciação

Como você planeja, na sua empresa, a compra de um equipamento novo? Um computador, um móvel, uma máquina?

– Espera quebrar, danificar ou queimar?

– Só troca ou compra outro quando não tem mais condições de uso?

Se for assim, pode estar perdendo dinheiro, pois estes itens vão se deteriorando, perdendo valor, pelo uso e pelo tempo. E podem:

  • Aumentar custos de manutenção;
  • Reduzir produtividade;
  • Perder a capacidade de operar com eficiência e ficar inadequado.

 

Principalmente na indústria, onde máquinas têm desgastes maiores, se esta parte não for organizada perde-se dinheiro, com alto custo de manutenção e principalmente com paradas na produção.

Muitas vezes o gestor tem um estilo administrativo de deixar para resolver este tipo de situação só em último caso, quando já há sinais de possíveis danos, não se antecipando na resolução.

Tendo em vista a depreciação de itens como carros, móveis, computadores e equipamentos na empresa, é possível planejar a reposição destes sem comprometer seu caixa? Vamos ver.

O termo “depreciação” é mais conhecido e usado no meio contábil e financeiro, mas é uma realidade presente em nossas vidas e nas empresas.

Significado:depreciação ou desvalorização é o custo ou a despesa do ou da obsolescência dos ativos, como por exemplo, máquinas, veículos, móveis, imóveis ou instalações. Resumidamente é a perda de valor de um bem pelo seu uso ou pelo tempo.
Para fins contábeis indica o quanto do valor de um ativo foi utilizado, porém, as empresas devem depreciar estes ativos de acordo com as regras da Receita Federal.

Resumo de uma tabela/taxa de depreciação, da Receita Federal:

Tabela de Depreciação da Receita Federal

Tabela de Depreciação da Receita Federal

 

Portanto, a depreciação é uma despesa não relacionada a dinheiro, que reduz o valor de um ativo ao longo do tempo.

Ativos depreciam por duas razões principais:

  • Desgaste: exemplo de um automóvel que vai perdendo seu valor com o desgaste dos pneus, quilometragem/motor e de outros fatores relacionados com sua utilização.
    O mesmo vale para um televisor, máquina de lavar, e outros equipamentos domésticos.
  • Obsolescência: ativos também diminuem de valor enquanto eles são substituídos por modelos mais novos. O modelo de uma motocicleta do ano passado é menos valioso, porque há um modelo mais novo no mercado este ano. Acontece muito com aparelhos e equipamentos que têm sua renovação/inovação mais rápida, como celulares, tablets e computadores.

Planilhas para fazer o controle e cálculo de depreciação (e alguns exemplos)

Iremos abordar bens que fazem parte da maioria das empresas e aqui considerando também o imóvel, exemplo de uma empresa que possui sede própria.

Há dois tipos de depreciação:

  1. A fiscal ou contábil: Este tipo reduz o valor do bem a zero (R$ 0,00), depois de um determinado tempo (estipulado pela Secretaria da Receita Federal). Esta modalidade só tem valor, ou pode ser utilizado, pelas empresas com regime tributário no Lucro Real.
    Planilha de Cálculo de Depreciação Fiscal

    Planilha de Cálculo de Depreciação Fiscal

     

  2. A gerencial. Exemplo: Compra-se um carro no valor de R$ 40.000,00 e após 3 anos vende-se este carro por R$ 31.000,00. Nesse caso, “perde-se” R$ 9.000,00 ao longo dos 3 anos. Então, dividindo os 9 mil por 36 meses tem-se o valor que perdeu/depreciou com este bem, ou seja R$ 250,00 por mês.
Planilha de Cálculo de Depreciação Gerencial

Planilha de Cálculo de Depreciação Gerencial

* Valor do bem no final do período, valor estipulado para venda do mesmo.

Obs. Imóvel, calculado considerando já com 5 anos de uso, 240 meses.

Veículo e computador, também calculado considerando já com um e dois anos de uso, respectivamente.
Móveis e computadores não têm valor residual, considerando que após este período o bem não tem valor, ou seja, o empresário não conseguirá vendê-lo, fazer dinheiro com o bem usado.


Sugestão:
Tendo em vista a velocidade de inovação quanto aos computadores, sabemos que este prazo legal, estipulado pela Receita Federal, não é condizente com nossa realidade. Para a empresa acompanhar o desenvolvimento tecnológico e dar boas condições de trabalho aos colaboradores, o ideal é que este cálculo seja na faixa de até 3 anos (36 meses).

Conclusão sobre a taxa de depreciação de máquinas e equipamentos

Então podemos afirmar que depreciação é uma ferramenta para gestão e você deve usar da melhor forma, otimizando seu uso para aumentar a lucratividade de sua empresa. Por isto é importante o empresário considerar este planejamento.

Tanto no exemplo da depreciação Fiscal, como na Gerencial, podemos observar que se a empresa reservar mensalmente o valor calculado (R$ 2.725,00 ou R$ 1.461,11) terá no futuro o recurso financeiro para substituir no momento certo os móveis, equipamentos etc., sem impactar seu fluxo de caixa.

A propósito, como anda o controle das suas finanças pessoais e empresariais? Confira aqui dicas para manter o controle entre o caixa pessoal e o caixa da empresa!

Respondendo a questão inicial, sim, é possível fazer a reposição de equipamentos sem comprometer o fluxo de caixa da empresa.

Principalmente se tratando de pequenas e médias empresas, vale a pena fazer um inventário organizado e planejar a depreciação para fazer a reserva financeira mensal destinada à substituição de equipamentos. Consulte seu contador.

Boa Sorte!

Cleiton Sales de Ávila

Cleiton Sales de Ávila

Atua na área Administrativa financeira de empresas, finanças pessoais, Comercial e Gestão. Com diversos cursos de aperfeiçoamento nestas áreas. Bacharel em Economia - FAE Business School - Bom Jesus - Curitiba Pós-Graduação em Finanças Avançadas - Fae Business school - Bom Jesus - Curitiba.

Ligue Agora